DVDs À VENDA:

 

CÓPIA CONSEGUIDA COM COLECIONADORES E AFICIONADOS PELAS GRANDES PRODUÇÕES DE FILMES PARA O CINEMA E TV. DESTINADO-SE EXCLUSIVAMENTE PARA EXIBIÇÕES DOMÉSTICAS. NÃO INFRINGE A LEI Nº 9.610 DE 19/02/98, QUE PRESSUPÕE QUE HAJA UMA PARTE LEGALMENTE OFENDIDA CONTRA COMPILAÇÃO OU SEJA :
ESSAS CÓPIAS NÃO SÃO VENDIDAS EM LOJAS OU DISPONÍVEIS PARA LOCAÇÃO NO BRASIL, PORTANTO NÃO EXISTEM DIREITOS AUTORAIS NO BRASIL!!!
TEL.: (034) 3076-2468 - EMAIL: manoftheworld@bol.com.br

 

ATENÇÃO: LEGENDAS OU DUBLADOS !

023 - DR. GIGGLES ESPECIALISTA EM ÓBITOS:

Um psicopata foge do Hospício e volta para sua cidade natal, com a intenção de investigar a morte do pai. Para isso, vai de casa em casa fazendo visitas e se passando por médico, aplicando um tratamento especial a base de marretadas.

021 - NOITES DE TERROR:

Quando o jovem casal Steven e Nell mudou para o prédio Lusman, eles estão cheios de entusiasmo. No final, foi um hotel de luxo nos dias de ouro de Hollywood. Agora, o antigo prédio começou a reforma. mas o que ninguém imaginava que hoje Lusman escondendo do maníaco, que conhece todos os segredos do edifício, aberto todas as portas e foge em casas de matar suas vítimas das formas mais bizarras. Infelizmente, o horror apenas começou. Logotipos todos os residentes estão presos, e única chance de sobreviver é destruir o edifício e, com ela, um maníaco. Mas nada garante que eles também evitar o dado com o assassino.

020 - DETETIVE DE HOLLYWOOD:

Telly Savalas agora é um Detetive, pois a série que é um grande sucesso, fracassou. Uma grande brincadeira, afinal Telly foi o fantástico Detetive "KOJAK".

019 - OS IMPLACÁVEIS:

Doc McCoy sai da cadeia mediante fiança paga pela sua esposa, Carol, sob a condição de que os dois roubem um banco para um político corrupto. Mas Doc descobre que as coisas não estão certas quando eles tentam ficar com sua parte do dinheiro.

018 - INSTINTO DE VINGANÇA:

Instinto de Vingança conta a história de Terry, que se depara com estranhas circunstâncias após receber um transplante de coração. Ele é um pai solteiro e trabalhador, que cuida de sua filha de 10 anos com a ajuda da médica Elizabeth. Após uma série de estranhos acontecimentos, Terry descobre que seu coração veio de um homem que foi assassinado. O coração tem vontade própria e poderia matá-lo ou levá-lo à loucura, a não ser que ele consiga desvendar o mistério deste assassinato.

017 - A FILHA DA LUZ:

Quando Maggie chega a seu apartamento uma noite, encontra sua irmã viciada em drogas, Jenna, na entrada. Jenna abandona o bebê recém-nascido com Maggie, que cria a criança como se fosse sua, apesar das evidências de autismo. Quando a menina cresce, o que parecia autismo parece ser algo muito mais supreendente.

016 - A SÉTIMA PROFECIA:

Uma mulher grávida do primeiro filho descobre que seu bebê é aguardado por membros de uma seita satânica à espera do apocalipse. Ela recebe a ajuda do seu misterioso inquilino, um anjo enviado por Deus para evitar as profecias demoníacas.

015 - QUADRILHA DE SÁDICOS:

“Uma típica família americana. Eles não queriam matar. Mas também não queriam morrer.” A fantástica e sintética frase no cartaz original de Quadrilha de Sádicos já mostra ao espectador o que esperar do segundo filme “oficial” do diretor americano Wes Craven, realizado no auge das produções nuas e cruas de horror dos anos 70 – no caso, 1977. Hoje, ironicamente, a tal frase foi substituída, na capinha do DVD americano, por um singelo “Do diretor de A Hora do Pesadelo e Pânico“, comprovando que os tempos são outros e que Craven não é mais famoso por ter assinado duas das mais importantes produções americanas independentes da década de 70 (Last House on the Left/Aniversário Macabro e Quadrilha de Sádicos), mas sim por seus filmes comerciais mais recentes, um sucesso entre os adolescentes da “nova geração“.

Todo mundo já está careca de saber que a década de 70 foi uma das mais prolíficas para o cinema de horror americano. O tempo dos hippies e sua pregação de “paz e amor” já era; os EUA viviam uma época negra de pessimismo e desesperança, principalmente graças ao massacre de seus jovens na Guerra do Vietnã e à corrupção de seus governantes desvendada pelo rumoroso Caso Watergate; mas ainda havia conflitos raciais varrendo o país, recessão, a crise de energia… Alguns cineastas do período sintetizaram bem esta sensação de desesperança e preocupação numa série de filmes baratos e chocantes. No gênero horror, o que se viu foi uma mudança drástica: filmes com ameaças sobrenaturais, casas mal-assombradas e fantasmas deram lugar a produções mais realistas, onde seres humanos matavam seres humanos, e onde o alvo da violência normalmente era uma das mais sagradas instituições americanas, a família. No caso de Quadrilha de Sádicos, uma típica família americana que não queria matar – e muito menos morrer!

014 - CONTAGEM REGRESSIVA:

Após escapar de uma prisão na Irlanda, Ryan Gaerity (Tommy Lee Jones) parte para Boston e começa a provocar uma série de explosões que envolvem membros do esquadrão de antibombas local. Jimmy Dove (Jeff Bridges) é o líder desta equipe e está prestes a se aposentar, mas é forçado a continuar trabalhando para tentar impedir os ataques de Gaerity, sem saber que o seu passado pode ter algo a ver com os crimes.

013 - VOO NOTURNO:

Richard Dees (Miguel Ferrer, conhecido por papeis menores no cinema e algumas séries de TV) é um repórter inescrupuloso que trabalha para o tabloide Inside View, que baseia suas notícias e variedades exclusivamente em sensacionalismo e exageros, como “Abdução alienígena” ou “Mães que colocam seus filhos no freezer acreditando que são filhos do demônio”, entre outras várias bizarrices. No presente, o editor-chefe do jornal, Merton Morrison (Dan Monahan, o Pee-Wee da cinesserie Porky’s) oferece um novo caso a Dees, onde um misterioso assassino em um avião Cessna Skymaster está fazendo uma trilha de sangue atacando em pequenos aeroportos rurais sem nunca ser pego, ganhando a alcunha de “O Piloto da Noite”. A princípio recusando o convite, Dees acaba cedendo à oferta e acaba se envolvendo perigosamente no caso, com a suspeita de que o piloto da noite seja, afinal, um vampiro!

Assistir a Voo Noturno é sentir-se em casa em se tratando de adaptações de Stephen King. Inspirado em seu conto “O Piloto da Noite” (presente na antologia “Pesadelos e Paisagens Noturnas – Volume 1”), o longa foi produzido pelo veterano Richard P. Rubinstein, conhecido justamente por produzir diversas obras de terror, como Madrugada dos Mortos e várias adaptações de King, como A Maldição, Fenda no Tempo e Cemitério Maldito. Além disso, o próprio Stephen King “indicou” o nome do diretor e roteirista Mark Pavia para dirigir a adaptação, pois havia adorado seu curta sobre zumbis de 35 minutos, “Drag” (16mm, 1993, que está disponível no Vimeo). Mark Pavia não dirigiria mais nada após este longa, mas o fato é que a combinação inspirada de profissionais deu muito certo, ainda que Voo Noturno permaneça como uma obra bem menos famosa de King.

Beneficiado por uma trilha sonora enervante composta por Brian Keane (ganhador do Emmy), o longa remete a uma atmosfera dos anos 80, embora produzido na década posterior, e, apesar de esquemático, o roteiro escrito por Pavia e seu amigo Jack O’Donnell consegue surpreender sem deixar de ser fiel ao conto, reproduzindo até mesmo as situações e diálogos existentes na história, e enchendo linguiça com qualidade, explorando alguns momentos que já existiam no material original e ainda brindando os fãs de gore com um festival de mortes e mutilações orquestrado pela equipe KNB de Kurtzman, Nicotero e Berger, com direito a um design de vampiro original e assustador. Ainda contam pontos para o filme o desfecho, que mostra um destino diferente para Dees em relação ao conto, mas que não perde nada da essência da obra literária e ainda dá margens para ironia e para interpretações sobre a sanidade do repórter. Um pequeno cult que vale muito a conferida pelos infernautas.

012 - O SILÊNCIO DO LAGO:

Jeff (Kiefer Sutherland) e Diane (Sandra Bullock) são um casal de namorados que decidem passar as férias juntos, mas repentinamente ela desaparece em um posto de gasolina. Jeff a procura por três anos, a ponto de ficar obcecado. Após este período Rita (Nancy Travis), a atual namorada de Jeff, decide ajudá-lo a descobrir o que aconteceu, pois deste jeito a relação deles está ficando insustentável. É quando surgem indícios do paradeiro de Diane.

011 - A SEITA:

Neste cenário, foi lançado no início do ano 'A Seita', um filme cuja a trama gira em torno de uma seita religiosa conhecida como 'Véu do Céu', onde seus membros cometeram suicídio coletivo. A verdade por trás do que realmente aconteceu se mantém na memória da única sobrevivente do massacre, uma menina de cinco anos. Já adulta, ela retorna ao local das mortes, acompanhada por uma equipe de filmagem, apenas para descobrir que, por trás das mortes, existiam mistérios mais aterrorizantes do que poderia ter imaginado.

010 - OPERAÇÃO YAKUZA:

Listas são uma tentação para quem gosta de cinema. Reunir filmes em categorias ou colocar ordens de preferência ajuda a lembrar daqueles que mais gostamos, mas mais ainda existe aquela prazer do colecionador, de riscar itens e dar seu julgamento sobre o que viu. Sempre que quero saber sobre algum gênero ou procurar um filme pra ver, digito no Google: “melhores filmes de…” E a partir da lista ir separando aqueles que me chamam atenção. Além de fazer as minhas é claro. Uma tarefa infinita e às vezes sem sentido. Alguns filmes parecem que tem lugar cativo na minha lista de filmes dos anos 70 e outros entram de supetão, como The Yakuza, querendo mandar para baixo filmes que me acompanham a mais tempo. Você ainda enjoa de uns, outros te decepcionam depois de uma revisão (que pra mim são raras).

Enquanto escrevo esta resenha já faz algum tempo que vi o filme. Mais de um mês na verdade. Dessa vez eu exagerei nesse intervalo mas eu prefiro deixar o filme esfriar na minha cabeça. Agora revi algumas cenas deste filme e acho que curti ainda mais. Olhando agora, lembrando de tudo e revendo algumas cenas com calma dá pra perceber que pequena obra-prima que é Operação Yakuza (que talvez ganhou esse título por conta dos vários “Operações” da época…). Reli o capitulo que foca nos irmãos Paul e Leonard Schrader do livro Como a Geração Sexo-Drogas-e-Rock’n’Roll Salvou Hollywood do crítico, historiador e biblioteca humana Peter Biskind. Aliás, a passagem que talvez tenha mais marcado do livro era realmente sobre como os dois irmãos escreveram esse roteiro. Acho interessante então resumir um pouco dessa história.

Paul e Leonard eram filhos de um casal calvinista holandês religioso ao extremo. Os pais surravam os dois quase que diariamente para disciplinar os meninos sempre incutindo o medo do inferno entre outros sermões. Paul só foi ver um filme quando tinha 17 anos quando entrou cagando de medo para ver Anatomia de um Crime num cinema de bairro. Tinha alucinações de que o cinema pegaria fogo e anjos desceriam para levar ele a danação eterna. A família toda, inclusive, flertava com a morte sendo que dois irmãos mais velhos que Paul e Leonard e um tio chegaram a se matar. Leonard dormia chupando o cano de uma 38. descarregada como se fosse uma chupeta e Paul deixava a sua sempre a vista. Toda essa depressão levou Paul a escrever o roteiro de Taxi Driver em 10 dias depois de ficar internado no hospital com uma úlcera provocada pelo whisky enquanto tentava a vida como crítico de cinema em Los Angeles. Ele só voltou a encontrar o irmão quando Leonard voltou em 1972 do Japão, onde trabalhava de professor. Ele veio com a história para Operação Yakuza. Queria escrever um livro mas Paul achou melhor que os dois escrevessem um roteiro.

Paul vendeu a idéia para seu agente dizendo que o filme seria uma mistura de O Poderoso Chefão com Bruce Lee e este lhe adiantou 5 mil dólares para que os irmãos começassem a trabalhar no texto. Os dois se trancaram num apartamento barato e alugaram duas máquinas de escrever onde martelavam os dedos sem parar. Tomavam suco de tomate feito com sachês de ketchup que roubavam de lanchonetes. Num determinado momento os dois ficaram sem inspiração e decidiram ir para Las Vegas torrar todo dinheiro que tinham para a culpa se tornar o combustível para terminar o roteiro. Quando pronto, o texto foi a leilão e foi paga a quantia mais cara por um roteiro até então: 325 mil dólares. O filme acabou nas mãos de Sidney Pollack, (este dirigiu o também foderoso Jeremiah Johnson, mas que também ama um filme brega) sendo que o roteiro de Operação Yakuza foi passado por ele para o Robert Towne (outro mito dos roteiros, responsável por Chinatown; na opinião de Syd Field, o melhor roteiro já escrito) dar uns tapas. Mesmo com um time desses muita gente meteu pau no filme.

Roger Ebert em sua crítica de janeiro de 1975 dá duas estrelas e meia de cinco para o filme. Critica a violência e trama muito complicada, mas ao mesmo tempo elogia todo o resto ao tratar das relações entre os personagens e o talento de Pollack para dirigir as cenas de ação. Ou seja, ele trata o filme como um exemplar do cinema popular ou exploitation, mencionando até a Shaw Brothers no começo do texto. (Já Pauline Kael, um grande, senão o maior, nome da crítica cinematográfica na época por outro lado era amiga de Paul Schrader e foi peça chave para o sucesso do roteirista.) Mas Operação Yakuza é mais do que uma apropriação americana de um gênero estrangeiro, no caso o filme de crime japonês, e exploração do exótico e violento em outro país. Diferente do que acontece em outros filmes de east-meets-west como em O Último Samurai e Ghost Dog, em que o sentimentalismo diz respeito à cultura japonesa, o mais importante aqui é a relação entre dois homens. Os americanos podem não entender totalmente ou concordar com os códigos de condutas mas sentem culpa, amam e chutam bundas como seus irmãos orientais.

No filme Harry Kilmer, interpretado por Robert Mitchum, tem de voltar ao Japão a pedido de um amigo que teve a filha sequestrada. Kilmer serviu no Japão durante a Segunda Guerra e teve um relacionamento meio platônico com Eiko Tanaka (Keiko Kishi) depois de ter salvo sua vida e de sua filha. O irmão de Eiko, Ken Tanaka (Ken Katakura) tem então uma dívida com Kilmer e o americano pede ajuda do ex-yakuza para achar a menina sequestrada. Depois de idas e vindas na história os dois partem para invadir um antro da máfia japonesa e salvar a vida de Ken, marcado de morte. Mitchum vai para cima dos gangsters armado com uma pistola e uma espingarda de caça enquanto que Katakura fatia os homens tatuados com sua espada. O final é uma baita cena de ação, mas com um problema. Como a atenção é dividida entre os dois, em alguns momentos acompanhamos a ação de Mitchum e perdemos o que está acontecendo com Katakura. E vice versa. Ou seja não há uma dilatação temporal causada pela edição para retomar a ação no momento em que a deixamos quando a montagem reveza entre os os dois espaço. A cena acontece em tempo real. Uma ideia interessante mas chateante para uma cena de ação em que você quer ver os detalhes de como cada um consegue se safar da morte.

De resto só posso elogiar a ação do filme. Além do confronto final há uma cena em que uma gangue da yakuza entra na casa de um amigo de Kilmer procurando por ele e por Ken. Os bandidos mantém Eiko, sua filha e dois amigos de Kilmer (Richard Jordan e Herb Edelman) sob a mira de revolveres até que começa a confusão e o tiroteio. Uma coisa que eu amo nesses filmes dos anos setenta é como você sente o impacto, o espaço, o cheiro do lugar. A edição rápida e os enquadramentos de Pollack fazem de tudo um pequeno milagre ao dar sentido a um cena tão violenta e desajeitada. Ken num momento luta com uma bicicleta contra os gângsteres enquanto Jordan geme atravessado por uma espada e Edelman grita do segundo andar para que todos parem de atirar. Sensacional!

009 - VOCÊ É O PRÓXIMO:

Dois anos depois de ter sido rodado, o filme de terror "Você é o próximo" chega aos cinemas americanos, com uma intriga familiar e doméstica, com direito a massacres e assasinos encapuzados, mas sem demônios ou fantasmas.

Ao contrário dos demais filmes de terror lançados neste ano, como "Sobrenatural: Capítulo 2" e "Invocação do mal", o independiente "You're next" (no original), que estreia nesta sexta-feira (23) nos Estados Unidos, opta por ancorar o terror na realidade, sem o recurso de cenas sobrenaturais.

"Queríamos fazer algo diferente. De alguma maneira, criar um terror verossímil. Tratar os personagens como seres humanos é um grande desafio", contou à AFP o roteirista e produtor Simon Barrett.

"Muitas pessoas não se assustam com filmes sobrenaturais porque não conseguem acreditar que aquilo aconteceria. Queríamos fazer um filme de terror para estas pessoas", completou.

O filme, ambientado em uma grande mansão isolada em uma floresta, mostra o massacre executado por assassinos encapuzados contra membros da família Davison – os pais, os quatro filhos(as) e seus companheiros(as). Os ingredientes já são conhecidos: casa isolada, família problemática, assasinos mascarados, sangue.

Mas Simon Barrett e o diretor Adam Wingard conseguem dar uma dose de originalidade ao filme, seja com a identidade dos assassinos ou resistência e crueldade inesperada de uma das vítimas.

"Assisti a muitos filmes de terror recentes e realmente não gostei do resultado. Davam a impressão de ficar parados nas mesmas coisas: muita violência e a tortura horrível dos personagens", explica Barrett. "Tentamos surpreender o público com a maneira como os personagens se revelam."

"Muitos cineastas assistem filmes e dizem 'oh, gostaria de fazer algo assim' e tentam copiar", disse à AFP Adam Wingard. "Quando assisto a filmes com Simon e vemos algo de que gostamos, falamos 'oh, não podemos fazer isto, porque este filme já fez e fez muito bem'. Então, nos perguntamos o que poderíamos fazer de diferente."

Isso não impede que o filme recorra a elementos tradicionais dos filmes do gênero, como assassino mascarado, do qual existem várias versões como Jason ("Sexta-feira 13"), Michael Myers ("Halloween"), passando por Leatherface ("O massacre da serra elétrica") e até mesmo os criminosos da série "Pânico".

"Quando preparávamos o roteiro, decidimos que os assassinos deveriam ter máscaras extraordinárias. Sabíamos que era importante que isto fosse coerente com os personagens", explicou Barrett.

"Quando você observa as máscaras de terror mais famosas, em general são muito simples", comentou. Finalmente optaram pela ideia das máscaras de animais de plástico. "O público pareceu apreciar."

Apesar da estreia em agosto de 2013, o filme foi rodado em 2011 e circulou por vários festivais, como o de Toronto, onde foi comprado pela distribuidora Lionsgate. "Mas, dois meses depois, a distribuidora anunciou uma fusão com a Summit Entertainment e, de repente, tinha o dobro de filmes para lançar. Restava apenas conseguir uma data", explicou Wingard.

"Estávamos muito estressados porque sabíamos que em casos como este os muitos filmes ficam em um depósito ou são lançados diretamente em vídeo." A Lionsgate-Summit finalmente decidiu por uma data de estreia. O diretor e o roteirista continuam tão nervosos como há dois anos.

"Queríamos fazer um filme capaz de resistir ao tempo, fazer um clássico que as pessoas pudessem apreciar dentro de 20 ou 30 anos", relatou Barrett. "Não sei se conseguimos, mas pelo menos este foi o nosso objetivo."

008 - REGRESSÃO:

Em Minnesota, na década de 1990, um homem é preso por abusar sexualmente da própria filha. Embora não se lembre do evento, ele se declara culpado. Auxiliado por psicólogos, ele revive os momentos e até acusa um policial de ter participado do crime, porém, ele começa a desconfiar da existência de uma conspiração nacional.

007 - O PREDESTINADO:

Se a vida é um círculo, se nós realmente nos tornamos nossos pais, quem veio primeiro afinal, o pai ou o filho? A indagação pode parecer profunda, no entanto, os diretores e roteiristas irmãos, Michael e Peter Spierig, provavelmente desenvolveram O Predestinado a partir de outra pergunta não tão enigmática, que seria: "Qual é o roteiro mais bizarro que podemos criar dentro do tema "viagem no tempo'"?

Bem, O Predestinado é muito mais do que apenas um thriller bizarro. O filme é um sci-fi investigativo empolgante, cuja história que serve de alicerce fala de um incansável agente temporal, que persegue até sua última missão o terrorista conhecido apenas como Fizzle Bomber. As vésperas de sua aposentadoria, ele precisa também preparar um novato para o serviço, e de quebra, apagar seu rastro pelo tempo. Acredite, existe muita coisa por trás desta trama, e fica complicado tentar explicá-la sem revelar algum spoiler. Até mesmo os mínimos detalhes, que não são tão mínimos assim, fazem toda a diferença.

Como disse, a obra se utiliza de uma ideia central bastante bizarra, que é, acima de tudo, extremamente criativa. Como todo filme que fala de viagem no tempo, é provável que em certos momentos sua mente crie uma tentativa de racionalizar alguma inconsistência, que por sua vez pode ser refutada por determinado argumento do roteiro, que só depois você se lembra que foi citado, ou não... e por aí vai. O importante é que a tal ideia central é bastante original, uma espécie de maldição meticulosamente orquestrada, não pelo destino, mas pela falta dele.

Porém, o que pode causar maior estranheza na audiência é o fato de algumas regras morais e sociais fundamentais (sem dizer biológicas) serem quebradas pelos personagens com uma facilidade que vai muito além da razão. Em certa situação em particular (um encontro), acontecem coisas tão improváveis que, por serem improváveis, merecem o benefício da dúvida. O que quero dizer é que, pelo simples fato de saber que uma situação nunca vai acontecer, como diabos é possível dizer que determinado comportamento nunca iria ocorrer com alguém nessa situação... que nunca vai acontecer. Entendeu?

Tecnicamente o filme funciona muito bem. Tem ótimas ideias visuais e elabora algumas soluções inteligentes para driblar o orçamento enxuto. Certo descompasso surge vez ou outra, pois afinal, os diretores irmãos são basicamente iniciantes. Antes desse, eles dirigiram outra ficção competente sobre vampiros, chamada Daybreakers, primeira colaboração deles com Ethan Hawke, que é o nome que de fato promove O Predestinado Além do bom trabalho do ator como o angustiado agente temporal, temos também uma grande surpresa no elenco, a jovem atriz Sarah Snook, que dá vida a personagem que pode ser chamada de "Mãe Solteira", embora seu nome seja Jane.

Snook se revela uma profissional completa, versátil e focada na realização de seu trabalho. Sua Mãe Solteira é de longe a mais complexa e desafiadora da fita, diria até que é mais importante que o agente de Ethan Hawke, mas o certo é dizer que ambos possuem o mesmo valor dentro da trama. Recomendado.

006 - O ALVO:

Chance Bondreaux (Jean-Claude Van Damme) é um estivador que trabalha no cais de Nova Orleans e que ajuda Natasha Binder (Yancy Butler), uma advogada, a encontrar seu pai desaparecido. Em sua investigação Chance descobre uma quadrilha que negocia pessoas, caçando mendigos e ex-combatentes em um safari mortal. É quando ele decide combater Emil Fouchon (Lance Henriksen), o chefe do negócio, e seus capangas.

005 - OLHO POR OLHO:

Ex-policial, agente de segurança particular, busca causa da morte de uma repórter de TV, que preparava uma reportagem sobre poderoso grupo no tráfico de heroína

004 - UM GOLPE EM BERLIM:

Milhões de dólares em ouro escondido. Quatro homens desesperados para encontrá-lo. UM CLÁSSICO

003 - DRAMÁTIC0 REENCONTRO NO POSEIDON:

Uma monstruosa onda simplesmente varreu o luxuoso transatlântico Poseidon, virando-o de cabeça para baixo no meio do oceano e os poucos sobreviventes lutam para encontrar uma saída daquele mundo virado de cabeça para baixo. Mas o Destino do Poseidon está apenas começando! Você precisa participar do Dramático Reencontro no Poseidon para completar o clima de suspense e tensão. Sob a batuta do produtor e diretor Irwin Allen, Michael Caine e Sally Field lideram um elenco estelar preso em corredores em chamas e escotilhas traiçoeiras. O capitão durão vivido por Caine primeiro convence seu colega Karl Malden e a passageira Sally Field a entrarem no navio esperando reclamar os direitos pelo resgate, mas milagrosamente eles encontram mais sobreviventes. Mas outros intrusos também chegaram ao local, liderados pelo sinistro Dr. Stefan Svevo (Telly Savalas). Só que ele está atrás de valiosíssima carga de plutônio - e não se importará em matar para consegui-la!

002 - VINGADORES DE SHAOLIN ou NAS GARRAS DE SHAOLIN:

Mesmo depois do cerco ao Templo, vários estudantes rebeldes de Shaolin continuaram a combater a dinastia Ching. Fong Sai-Yuk, o mais conhecido deles, juntamente com seu irmão e seu grande amigo Hu Huiquian, enfrentam os traidores do templo, o Mestre de Sobrancelhas Brancas e outros membros do Clã Wutang em meio a uma grande batalha contra os guerreiros Manchus. Este é o mais elogiado dos filmes que narram a famosa saga dos estudantes de Kung-Fu que sobreviveram ao massacre do Templo de Shaolin.

001 - DO INFERNO:

Em 1888 a cidade de Londres vive um horror sem precendentes, principalmente aqueles que vivem em Whitechapel. Lá mora Mary Kelly (Heather Graham) e seu grupo de amigas, que vivem sendo hostilizadas pelas gangues locais e são obrigadas a se prostituir para sobreviver. Até que uma das companheiras de Mary, Annie (Katrin Cartlidge), é repentinamente sequestrada, com este acontecimento logo seguido pelo brutal assassinato de Polly (Annabelle Apsion). Desconfiando que tais acontecimentos sejam na verdade uma "caçada" às garotas de Whitechapel, o caso logo chama a atenção de Frederick Abberline (Johnny Depp), um brilhante e perturbado inspetor de polícia que muitas vezes usa de seus poderes psíquicos para solucionar casos. Abberline se envolve cada vez mais com o caso e aos poucos se apaixona perdidamente por Mary, mas quanto mais se aproxima da verdade mais Whitechapel fica perigosa para Abberline, Mary e suas companheiras.

VOLTAR